COMUNIQUE

Seja Bem vindo! Nossa meta é anunciar Boas Novas! Léo Lima
Precisamos decidir em como ser valiosos, em vez de pensar o quão valiosos somos. Filosofia chinesa

Aflições vindas das Mãos Soberana São bênçãos disfarçadas! (Adam Clarke)

terça-feira, 30 de maio de 2017

SIMPLESMENTE MÃE

Hoje compartilho uma das poesias escritas por meu pai em homenagem às mães. Estamos no final do mês dedicado a elas e hoje a minha mãe completa 92 anos e  a ela dedico. Esta poesia que ele escreveu nos idos de 1969. Ele assinava, como poeta, o pseudônimo de Amil Edram.


MÃE

Mãe: que importa a física aparência?
Se velha, ou moça, se feia
Ou extremamente linda?
Mãe: sua alma tem a quintessência
Da angélica bondade e da ternura infinda!

Mãe: que afaga ao calor dos seios
A tenra criancinha,
Que envolve de carinho, de cuidados!
Mãe: que do filho ingrato se avizinha,
Com o coração ferido, ou erros já perdoados!

Mãe: que da sua preciosa vida
Outra vida dá origem,
E que se dá para que viva o filho.
Mãe: que ostenta na fronte o magno brilho
Que em contemplando-o causa-nos vertigem!

Mãe: que do amor é o exemplo mais sublime.
Que sofre, que perdoa,
Que regozija e exalta.
Mãe: que não poucas vezes se atordoa;
Que encobre o mais hediondo crime
E repreende a mais ingênua falta!

Para todas as mães que amam e sofrem, mas para aquelas que muitas vezes são privadas da presença do filho amado. E de uma forma especial à minha mãe - Dedico.

Léo Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário